JSP NOTÍCIAS

JSP NOTÍCIAS
Compromisso apenas com o leitor

quarta-feira, 30 de julho de 2014

PAGAMENTO DOS SERVIDORES ESTADUAIS COMEÇA NESTA QUINTA-FEIRA(31)

As Secretarias de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan) e da Administração e dos Recursos Humanos (Searh) divulgaram o calendário de pagamento dos salários dos servidores estaduais relativo ao mês de julho, que será da seguinte forma:  

Nesta quinta-feira (31) será creditado o pagamento de todos os servidores da Segurança, Saúde e Educação (inclusive UERN), bem como todos os servidores do DETRAN, IDEMA, DEI, JUCERN e IPEM, independente do valor do salário, que representam um total de 60.055 servidores;

Ainda na quinta-feira, a partir do meio-dia, recebem os servidores ativos e inativos das demais áreas que ganham até R$ 2 mil líquidos – que somam 33.409 servidores;

No dia 08 de agosto, sexta-feira, serão creditados os salários dos servidores ativos e inativos que recebem acima de R$ 2 mil líquidos - 9.377 servidores no total.

93.464 servidores receberão o pagamento dentro do mês, o que equivale a 91% da folha do Estado.

Os outros 9% (9.377 servidores) receberão no dia 08 de agosto.

FONTE: ASSECOM/GOVERNO DO ESTADO

DEPUTADOS DO RN GASTAM DINHEIRO PÚBLICO EM RESTAURANTES DE LUXO

Um novo levantamento feito através do Portal da Transparência da Assembleia Legislativa aponta que 11 deputados estaduais do Rio Grande do Norte gastaram, somente no primeiro semestre de 2014, R$ 34.019,12 de recursos públicos em 12 dos mais caros restaurantes da Grande Natal.

No ano passado, o valor de verbas públicas gastas em igualmente 12 restaurantes de “grife” foi de R$ 104 mil e incluía 13 dos 24 deputados da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. No levantamento mais recente, que levou em conta as despesas de janeiro a junho de 2014, os quatro que mais gastaram foram José Adécio (R$ 10.445), Tomba Farias (R$ 7.594), Getúlio Rego (R$ 5.991) e Agnelo Alves (R$ 5.080)

O dinheiro para essas “refeições de gala” vieram da chamada “verba indenizatória do exercício parlamentar”, dinheiro de todos os cidadãos que deveria auxiliar o trabalho dos parlamentares, mas que pela falta de regras é gasto com almoços, lanches ou jantares de centenas de reais ou até mais de mil reais em um único dia.

Recordes – O maior valor em uma única nota fiscal, dentre os 12 restaurantes escolhidos para análise, foi de Tomba Farias no Fogo e Chama, em 5 de abril. O parlamentar efetuou nesta data uma despesa de R$ 1.408,33. Getúlio Rego apresentou nota de R$ 1.227,49 no Camarões do Sertão, do dia 1º de janeiro. José Adécio pediu ressarcimento de R$ 1.002,87 despendidos em 8 de janeiro no Tábua de Carne.

Há ainda gastos elevados em restaurantes que não fizeram parte do levantamento, como foi o caso novamente de Tomba Farias, que apresentou despesas de R$ 5.233 na Peixada da Comadre, ao longo dos seis meses.

Paulistano – O mesmo Tomba Farias, aliás, gastou R$ 287,48 em 5 de fevereiro, no Ocean Blue, localizado na av. Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo. Já em Natal, Agnelo Alves acumulou R$ 864,71 em despesas no Nemo Sushi, nesse primeiro semestre. Partindo pra Mossoró, Larissa Rosado pagou R$ 852,25 no Candidu's, somente no dia 30 de junho.

As limitações do Portal da Transparência da Assembleia Legislativa não permitem saber que tipo de refeição foi adquirida, para qual finalidade, ou mesmo quantas pessoas se alimentaram à custa do dinheiro público. No entanto, os altos valores demonstram que não apenas os detentores dos mandatos se aproveitaram dessas “comilanças de alto padrão”, ressarcidas pelos impostos pagos por todos os cidadãos.

2013 – No ano passado, o levantamento considerou 12 marcas de restaurantes da Grande Natal e apontou gastos de R$ 104 mil. Os que registraram as maiores despesas ressarcidas nesses estabelecimentos foram Fábio Dantas, Ezequiel Ferreira, José Adécio, Tomba Farias e Agnelo Alves. Em três datas Fábio Dantas registrou gastos de mais de R$ 1 mil no Coisas da Roça.

Ainda em 2013, Antônio Jácome pediu ressarcimento de R$ 2.535 pagos no Mangai, no dia 29 de novembro; George Soares anotou despesa de R$ 1.628 no Sal e Brasa, no dia 16 de outubro; e Ezequiel Ferreira registrou o desembolso de R$ 1.359 em 9 de maio, no Coisas da Roça.

Destaque especial mereceu a nota apresentada pelo deputado Tomba Farias, no dia 25 de julho, no valor de R$ 1.461,69, no D'amici Ristorante, localizado no Leme, na capital do Rio de Janeiro.

Outros gastos - O fato isolado de gastar mais com “alimentação” nesses restaurantes não significa que este ou aquele deputado seja mais irresponsável que os demais em relação ao uso do dinheiro público, visto que, pelo menos, essa despesa foi registrada. Outras formas de má utilização das verbas, como a destinação para ações que não atendem o interesse da população, sem falar nos possíveis casos de improbidade, são certamente ainda mais danosas à sociedade.

No mesmo sentido, o fato de não estarem presentes na lista de “clientes de restaurantes caros que pagam a conta com o dinheiro do contribuinte” não exime nenhum parlamentar, visto que alguns, que sequer aparecem neste levantamento, são acusados de diversas outras irregularidades e ilegalidades. Porém, o mau uso das verbas públicas em restaurantes e similares é a “imoralidade” mais simples de ser comprovada, tendo em vista a exigência de inclusão das notas fiscais nas prestações de contas mensais, muitas das quais já com o nome de fantasia dos estabelecimentos.

Estabelecimentos - As 12 marcas analisadas no levantamento do primeiro semestre (totalizando 18 estabelecimentos) foram Camarões (4 CNPJs), Fogo e Chama (2 CNPJs), Sal e Brasa, Agaricus, Guinza, O Abade, Coisas da Roça, Mangai, Tábua de Carne (2 CNPJs), Cassol (2 CNPJs), Buongustaio e Lula Restaurante.

Confira abaixo o detalhamento do dinheiro gasto pelos deputados:

José Adécio – R$ 10.445,79
Camarões - R$ 3.022,41
Lula Restaurante - R$ 2.158,75
Tábua de Carne - R$ 1.852,07
Coisas da Roça - R$ 1.783,13
Fogo e Chama - R$ 1.441,77
Sal e Brasa - R$ 187,66

Tomba Farias – R$ 7.594,16
Fogo e Chama - R$ 3.845,10
O Abade - R$ 1.273,19
Camarões - R$ 1.117,65
Buongustaio - R$ 795,57
Agaricus - R$ 562,65

Getúlio Rego – R$ 5.991,05
Camarões - R$ 4.275,48
O Abade - R$ 1.222,16
Mangai - R$ 284,33
Guinza - R$ 209,08

Agnelo Alves – R$ 5.080,24
Tábua de Carne - R$ 2.231,34
Camarões - R$ 817,19
Cassol - R$ 784,89
Mangai - R$ 403,01
Agaricus - R$ 330,55
Sal e Brasa - R$ 287,43
Fogo e Chama - R$ 225,83

Fábio Dantas - R$ 1.566,16
Buongustaio - R$ 612,15
Fogo e Chama - R$ 293,59
Sal e Brasa - R$ 224,73
Camarões - R$ 196,25
Agaricus - R$ 141,90
Mangai - R$ 97,54

Kelps Lima – R$ 984,61
Tábua de Carne - R$ 984,61

Gustavo Carvalho – R$ 882,53
Camarões - R$ 779,35
Tábua de Carne - R$ 103,18

George Soares – R$ 857,42
Tábua de Carne - R$ 413,60
Coisas da Roça - R$ 268,70
Camarões - R$ 175,12

Leonardo Nogueira – R$ 408,50
Camarões - R$ 408,50

Larissa Rosado – R$ 105,48
Mangai – R$ 82,12
Cassol – R$ 23,36

Ezequiel Ferreira – R$ 103,18
Sal e Brasa - R$ 103,18

Confira o texto que fala sobre o levantamento feito em relação a 2013 em http://on.fb.me/1z9k1ES
 

terça-feira, 29 de julho de 2014

VIDA E OBRA DOS GOVERNADORÁVEIS (PARTE II)

Robinson tentará colar na
popularidade de Lula e Dilma
Robinson Mesquita de Faria, nasceu em Natal no dia 12 de abril de 1959. Formado em direito pela UFRN, exerceu o cargo de deputado estadual desde 1987, sendo presidente do legislativo estadual de 2003 até 2010.
Assim como Henrique, faz parte de uma oligarquia política. Por pouco seu pai, Osmundo Faria, empresário e latifundiário, não foi governador nomeado pela ditadura militar. Ele é pai do deputado federal Fábio Faria. Durante sua vida pública, sempre orbitou em torno dos Maias e do Alves enquanto polarizavam o cenário político potiguar. Atualmente é vice-governador do estado e filiado ao PSD.
Rompeu com a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) logo no início do governo. Robinson, projetou ser o candidato apoiado pela então governadora Wilma de Faria (PSB). Deu ampla sustentação ao seu governo na Assembléia, apoiando todos os projetos da governadora, inclusive os que tornaram o RN um estado ingovernável. Mas tudo valia a pena se Wilma apoiasse o seu projeto político. 
O plano não deu certo. Wilma optou pela candidatura do seu vice, Iberê Ferreira de Souza (PSB). Contrariado, Robinson passa para a oposição. Se alia aos adversários de Wilma e vence a eleição junto com Rosalba. No governo, assumiu a Secretaria de Recursos Hídricos, mas por pouco tempo.
Durante seus mandatos de presidente da Assembléia Legislativa, obteve a admiração de seus pares e se tornou um dos homens mais poderosos da política local. Seu partido na época, o PMN, tinha a maior bancada. Toda esta força não seria suficiente para viabilizar sua candidatura. Mas, com a fundação do PSD, Robinson assumiu o comando da legenda no RN e anunciou que estava fundando o maior partido do estado, com a adesão de quase todos os deputados do PMN, com exceção de um, e de vários outros dos demais partidos. O presidente da casa, Ricardo Mota, era até então fiel à ele, pois tinha sido Robinson quem teria colocado ele no cargo, haja vista o seu grande respaldo conquistado junto aos seus colegas deputados.
Também teria um grande número de prefeitos. Seria capaz então de construir um governo paralelo ao de Rosalba e torná-la assim, sua refém. Mais uma vez, os planos de Robinson foram por água abaixo.
Percebendo a manobra de seu vice, Rosalba, seu marido Carlos Augusto, e José Agripino agiram rápido para frustrar os planos do avó do neto (a) de Silvio Santos. Inflaram o ego de Ricardo Mota, que era quem mandava na Assembléia agora. Este deixou Robinson falando sozinho e criou seu próprio grupo político, formado em boa parte pelos que antes eram liderados por Robinson. 
Enfraquecido, foi enxotado do governo Rosalba. A partir de então, tentou ser a voz do anti-Rosalba. A medida em que o governo rosa enfraquecia, Robinson tentava canalizar a insatisfação popular. Porém sem estrutura de comunicação e uma ampla base política, não conseguiu criar esta imagem no eleitorado. Passou os últimos 3 anos pregando praticamente sozinho, a sua candidatura ao governo. 
Com o grande acordão de Henrique, viu na chance de ser o anti-Henrique, a sua oportunidade de vitória. Afinal, o presidente da Câmara é detentor de um grande índice de rejeição por parte de eleitorado, e em quase todos os municípios do interior, a política é dividida em dois grupos. Se um grupo apoia Henrique, o outro praticamente será forçado a apoiar Robinson. 
Outro fator em que ele deposita suas esperanças é que está aliado ao PT e assim se apresentará como o candidato oficial do partido que ganhou por ampla maioria, as três últimas eleições para presidente no estado. 
Seu companheiro de chapa é o deputado estadual Fábio Dantas, do PC do B.


PT ESCLARECE SOBRE VISITA DE FÁTIMA

A passagem da deputada federal e candidata ao senado, Fátima Bezerra (PT), por São Pedro no último sábado, gerou uma série de interpretações e uma versão divulgada por um dos membros do PMDB divulgado pelo blog Atualides. 
O diretório municipal do PT, buscou saber da verdade, já que ao contrário do que disse o Sr. Elialdo, a visita de Fátima não foi "as expensas de seu próprio partido". 
A presidente do diretório local, Márcia Nogueira em contato com a assessoria de Fátima e com o coordenador da campanha para a região Potengi, João Cabral, obteve os seguintes esclarecimentos:
"A visita de Fátima à São Pedro não estava programada. Se previa uma breve visita à sua correligionária, Graça Ribeiro, no trajeto que ela iria fazer entre Bom Jesus e São Paulo do Potengi, onde iria conceder uma entrevista. 
Não foi possível esta visita devido a Sra. Graça não estar em sua residência.
Na verdade quem promoveu o encontro foi o Sr. Theodorico Bezerra do PC do B, candidato a segundo suplente de senador na chapa de Fátima. 
Como todos que acompanham a política local sabem, Liegy e parte do PMDB de São Pedro havia firmado um compromisso com o Sr. Theodorico para apoiá-lo em uma candidatura à deputado estadual que não se confirmou com a decisão de compor a chapa com Fátima. 
Quanto a uma "decepção da atual gestão municipal" nós do PT não coadunamos deste mesmo sentimento. 
Queremos ressaltar a postura do PMDB local que rompendo com a orientação de instâncias superiores do partido, reconhece em nossa candidata, a capacidade de melhor servir ao RN, e por isso são bem-vindos para somar na construção desta vitoriosa caminhada".

Márcia Nogueira
Presidente D.M. PT/São Pedro

domingo, 27 de julho de 2014

VIDA E OBRA DOS GOVERNADORÁVEIS (PARTE I)

A campanha eleitoral está nas ruas. Ainda meia morna, mas aos poucos vai empolgando e em breve será o principal tema das conversas nas esquinas, nos bares e onde mais de uma pessoa estiver reunida, ou nem isso, já que as tecnologias permitem que até sozinho, candidatos e apoiadores façam verdadeiros comícios pelas redes sociais.
O governo do RN será disputado por cinco candidatos. Henrique Alves (PMDB), Robinson Faria (PSD), Robério Paulino (PSOL), Araken Farias (PSL) e Simone Dutra (PSTU). Dos cinco, apenas Henrique e Robinson reúnem condições de saírem vitoriosos. Vamos dar uma olhada na trajetória política de ambos, já que analisar o passado dos políticos é o primeiro passo para o eleitor tomar uma decisão consciente.
Henrique Eduardo Alves
Nasceu no dia 9 de dezembro de 1948 no Rio de Janeiro. É filho do ex-governador, Aluízio Alves (1921-2006) e formou-se em direito pela UFRJ em 1972 sem nunca ter exercido a profissão, fazendo da política seu ofício. Elegeu-se deputado federal pela primeira vez em 1970 e de lá para cá são 11 mandatos. Iguala-se a Ulisses Guimarães e só perde o recorde para Manoel Novaes que tem doze mandatos.
baixeDurante a maior parte desses quase 44 anos de mandato, foi um parlamentar obscuro, frequentador do "baixo clero", como é chamado o grupo de deputados inexpressivos. Durante os primeiros 42 anos de mandato, apenas 3 propostas de sua autoria foram aprovadas. Teve poucos serviços prestados ao RN e ao Brasil.  
Somente a partir de 2007, quando assume o cargo de líder de seu partido, é que Henrique começa a desfrutar de algum prestígio. Tal condição foi conquistada por ele fazer parte do grupo do atual vice-presidente, Michel Temer, que passou a ser majoritário no PMDB e viu em Henrique um bom articulador e conhecedor de todos os "atalhos" do Congresso. Afinal, foram anos de escola.
Com o respaldo conquistado pelo período que passou como líder do partido, viu que poderia cobiçar a presidência da casa. E chegou lá no ano passado.
Terceira disputa majoritária
Está é a terceira vez que Henrique disputa uma campanha majoritária. As outras duas vezes foi para a prefeitura de Natal. Em 1988 perdeu para Wilma de Faria, e em 1992, o candidato apoiado por ela, Aldo Tinoco (PDT) foi o vencedor. Fato curioso é que neste mesmo ano, outra adversária de Henrique foi sua irmã, Ana Catarina (PFL). 
Em 2002 foi quase confirmado como companheiro de chapa de José Serra (PSDB) para a disputa pela presidência da república. Porém, denúncias feitas pela sua ex-mulher de que ele possuía uma fortuna em dólares no exterior, afundaram o projeto. Aliás, o projeto político original para aquele ano, era a sua candidatura ao governo do estado, um sonho alimentado por seu pai, que não mediu esforços para realizá-lo. Até mesmo o governador da época, seu primo Garibaldi Alves Filho, abdicou do direito de governar o estado e fundou e entregou a Henrique, uma super secretaria para que ele demonstrasse ter capacidade de ser um bom gestor.
A cobiça despertada pela vice-presidência e as denúncias, acabaram com o sonho do velho Aluízio, que morreu sem realizá-lo. Naquele ano, até a reeleição à Câmara foi conquistada nas últimas.

"Henrique (...) representa a continuidade dos problemas que assolam o estado do RN..." Marina Silva, candidata a vice-presidência pelo PSB  
Veja a nota clicando aqui.

Henrique representa o que há de pior na política. O fisiologismo, o toma-lá-dá-cá, chantagem e pressão são suas ferramentas para sobreviver no mundo político. Como presidente do Congresso, pressionou a presidente Dilma para que esta atendesse aos interesses dos deputados por cargos e emendas. 
Desde que assumiu o cargo, tem se esforçado para se apresentar ao povo do RN como um homem poderoso e influente em Brasília, capaz de tirar o RN do sufoco em que se encontra hoje. 
Com a força que tem devido ao cargo que hora exerce, conseguiu incluir várias emendas no orçamento da União para projetos no estado. São Pedro se beneficiou do seu "poder" com aquisição de um trator.
Prega que esta força se manterá quando se eleger governador. Só que ai ele não será mais a terceira pessoa mais poderosa da República. Será apenas mais um governador de um estado pobre, pedindo esmolas em Brasília.
Mudança?
O mote de sua campanha é a MUDANÇA. Curioso ver que todos os ex-governadores vivos do estado (Lavoisier Mais, Agripino Maia, Vivaldo Costa, Geraldo Melo, Garibaldi Filho, Fernando Freire, Wilma de Faria e Iberê de Souza ), os mesmos que trouxeram o estado à situação que se encontra hoje, estão ao seu lado.
Então chega a ser incoerente como é que alguém, representado tudo o que foi feito nos últimos 40 anos, dizer que representa a mudança. Até mesmo quando se fala em relação ao governo atual, onde ele e seu partido tinham participação ativa até o final do ano passado.
Seu companheiro de chapa é o deputado federal João Maia (PR).


Em breve, vida e obra de Robinson Faria.

sábado, 26 de julho de 2014

POLUIÇÃO VISUAL ENFEIA SÃO PEDRO

Cartazes na parada de ônibus. Falta de respeito com a cidade
Existem vários tipos de poluição ambiental. Desde aquela provocada por industrias que jogam no ar, na água ou no solo seus dejetos, até a poluição provocada pela combustão nos motores dos veículos. Também a poluição pela falta de educação dos cidadãos que jogam nas ruas seu lixo e esgoto. 
Outra consequência da falta de educação é a poluição sonora com os famosos paredões ou sons com altos decibéis com os quais seus donos infernizam a vida da vizinhança sem se importar que por perto tem alguém doente precisando de repouso, um bebê tentando dormir, ou simplesmente um trabalhador tentando descansar após uma jornada de trabalho.
Outra forma de poluição que incomoda, mesmo que silenciosamente, é a visual. Ela se apresenta na forma de cartazes colados nas paredes de prédios públicos e privados, sem nenhum ordenamento e que deixam o ambiente feio, com aspecto ruim, dando uma péssima impressão a quem chega à cidade.
Um exemplo dessa poluição é a que vemos na parada de ônibus central de São Pedro. Cartazes colados uns por cima do outro divulgando festas e outros eventos, demonstram total falta de respeito aos cidadãos desta cidade.

FÁTIMA BEZERRA PASSOU POR SÃO PEDRO

Liegy e Fátima com pmdbistas
Em movimentação política pela região Potengi, a deputada federal Fátima Bezerra (PT), candidata ao senado, de passagem por São Pedro, fez uma breve visita de cortesia à ex-candidata à prefeitura pelo PMDB, Adália Liegy. A deputada vinha de Bom Jesus onde acompanhou a candidato ao governo, Robinson Faria (PSD) e estava indo para São Paulo do Potengi conceder junto com ele, uma entrevista à rádio Potengi.
O PMDB do RN tem como candidata oficial ao senado, a ex-governadora Wilma de Faria (PSB), mas o partido em São Pedro acena com a possibilidade de apoiar a petista Fátima. 
Esta por sua vez, apoiou a atual prefeita Robenice (PR) contra a candidata a pmdbista nas últimas eleições.

NOVA AMBULÂNCIA PARA SÃO PEDRO

A prefeitura de São Pedro adquiriu uma nova ambulância para atender a comunidade

ABRE ASPAS: PROFESSOR DA UFRN ANALISA CANDIDATURAS AO SENADO

Resultado de imagem para antônio spinelli
Spinelli
O professor da UFRN, Antônio Spinelli, especialista em política do RN, analisou as principais candidaturas ao governo e ao senado e destacou que a campanha ainda está "morna", só esquentando pra valer a partir do início da propaganda eleitoral na TV. Considera que os principais candidatos: Henrique, Robinson, Wilma e Fátima, por serem conhecidos, torna a tomada de decisão mais fácil por parte de eleitor. 
Para ele, Henrique começou forte, mas Robinson está se movimentando muito bem. Já Wilma, o que pesa contra ela é um "telhado de vidro muito grande", referindo-se aos escândalos do seu governo, contra uma candidata sempre bem votada e com realizações, mesmo sem nunca ter exercido um cargo executivo.
Vamos abrir aspas para Antônio Spinelli:
“Por enquanto, está muito morna. Ainda não pegou. O que é normal. O eleitorado costuma se ligar efetivamente quando a campanha oficial começa. Na verdade, as pessoas comuns têm muito com o que se preocupar. Geralmente quem acompanha mais nesse período inicial são os jornalistas e especialistas”.

“Como os candidatos são todos conhecidos, Henrique, Robinson menos, mas de qualquer forma conhecido, vez que foi deputado estadual por um longo tempo, presidente da Assembleia Legislativa e eleito vice-governador. E as duas candidatas ao Senado, Wilma e Fátima, também são figuras conhecidas. Isso de certa maneira facilita o posicionamento do eleitorado. Quando o eleitor não conhece o candidato, espera um pouco mais para ver o que o candidato vai propor”.

“Claro que Henrique é francamente favorito, fez costura muito ampla. E é claro que Robinson vai ter dificuldades para romper essa barreira, principalmente procurar apoios de prefeitos, de vereadores, cabos eleitorais. Mas acho que à medida que a campanha avança e os candidatos apresentem suas propostas e passam a ser mais conhecidos do público, a campanha fica mais equilibrada, embora Henrique permaneça como franco favorito. Contudo, a eleição apresenta surpresas”.

“Henrique tem uma longa trajetória. E, ao longo dessa trajetória, foi alvo, muitas vezes, de denúncias. Não sei se o candidato Robinson vai fazer uso dessas coisas. Porque há um ponto de saturação para o público. A tática do ataque, da denúncia, funciona até certo ponto”.

“Henrique tem exercido a presidência de forma em muitos aspectos questionável. A reforma política talvez seja o exemplo mais importante. Ele prometeu publicamente e explicitamente que iria fazer (a reforma). O primeiro erro começa por aí, ‘eu vou fazer’, uma proposta personalista para algo que precisa de amplo consenso. E ele não fez. Fez alguma coisa, uma maquiagem, algumas propostas. Na verdade, ele travou a reforma política, e esse é o ponto mais vulnerável”.

“São candidatas fortes. A ex-governadora e ex-prefeita Wilma tem realmente um telhado de vidro muito grande, uma vez que nos governos dela, particularmente o governo do Estado, vários escândalos aconteceram. Mas é o que eu disse. Isso não pode ser explorado como agenda principal da candidata que faz oposição a ela. A candidatura precisa apresentar uma agenda positiva. Fátima tem histórico como deputada estadual e federal, sempre foi muito bem votada, muito envolvida com os problemas do RN, e tem realmente realizações a apresentar”.

 “O governo de Rosalba é tão ruim, que faz o governo de Wilma parecer bom. E daí se dar uma certa força à candidatura dela ao Senado. Talvez desse mais força a ela como candidata ao governo. Agora, Wilma vai enfrentar uma opositora forte, com histórico de realizações e sem mancha na sua trajetória política. Eu vejo um combate mais equilibrado para o Senado”.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

ASSALTO DA TELHA: PROCURA-SE CELTA PRATA LEVADO PELOS BANDIDOS

Veículo roubado é similar a este
Ontem à noite, bandidos invadiram a fazenda Telha no município de São Pedro que pertence ao empresário Franklim Pinheiro, proprietário da Potiguar Rações.
Agiram com violência durante horas, fazendo os funcionários reféns. Mostraram conhecer detalhes da rotina da fazenda. Aterrorizaram mulheres e crianças e levaram vários objetos. Eram cinco bandidos. Levaram também o veículo pertencente ao gerente da fazenda, Laudo. O carro é um celta prata de placas MZL 3879/São Pedro. Pede-se que divulgue nas redes sociais.