sexta-feira, 24 de junho de 2016

PEDRA BRANCA COMEMORA SEU PADROEIRO, SÃO JOÃO BATISTA

Hoje, 24 de junho, é dia de São João Batista, padroeiro da comunidade de Pedra Branca.
Ontem registramos a procissão que saiu da capela às 17 horas. Hoje haverá missa às 16 horas.
Por ser uma das maiores comunidades do município, local histórico da fundação de São Pedro,
a data mereceria ter uma comemoração mais efusiva,também que São João é um dos santos mais
tradicionais do catolicismo. Porém em meio aos festejos do padroeiro da cidade, o dia de São João
passa quase que em branco na programação dos festejos juninos da cidade.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

NORA DA PREFEITA PEDIU PARA SAIR MAS NÃO DEVERÁ SER CANDIDATA

Desde que veio à tona a publicação da exoneração à pedido da secretária de Finanças e nora da prefeita Robenice Ribeiro, Neisa Ribeiro vem sendo especulada nas rodas de conversas políticas como possível companheira de chapa do ex-prefeito João de Deus (PSDB). O fato é que a publicação datada do de 10 de junho a torna inelegível, já que o prazo de desincompatibilização de secretários municipais para concorrer ao cargo de prefeito ou vice-prefeito é de 4 meses. Se fosse para vereadora, o prazo seria ainda maior. 6 meses.
Outra dúvida levantada foi em relação ao grau de parentesco, já que ela como nora, seria parente por afinidade em primeiro grau da prefeita, portando impedida de disputar o cargo de prefeita ou vice.
Quanto a isso, existe várias controvérsias. Basta uma rápida consulta à internet que se achará várias interpretações da lei.
No site Eleições2016, diz o seguinte:
 "Parentes do atual prefeito do mesmo município, ou de quem o substituir, até segundo grau (mãe, pai, filho, filha, avô, avó, neto, neta, irmão e irmã), por afinidade (sogro, sogra, genro, nora, cunhado e cunhada), ou por adoção, não podem se candidatar se o prefeito, ou quem o substituir, estiver no primeiro mandato.
Caso o prefeito, ou quem o substituir, estiver no segundo mandato e se afaste do cargo 6 meses antes da eleição, a candidatura dos parentes citados anteriormente passam a ser permitidas. Por exemplo, o irmão do prefeito só pode se candidatar se o prefeito estiver no segundo mandato e se ele se desligar do cargo 6 meses antes da eleição".
Em outra pesquisa, fomos levado ao site do TRE do estado do Rio de Janeiro. Nele, a informação contida é que no caso específico da nora da prefeita, ela poderia, desde que a prefeita tivesse renunciado em abril.


quinta-feira, 16 de junho de 2016

"BEM-VINDOS" AO RIO (DA INSEGURANÇA) GRANDE DO NORTE

sao_goncalo_3
Aeroporto Internacional de Natal
Foto: Infraero
Quem chega ao Rio Grande do Norte através do Aeroporto Internacional de Natal, em São Gonçalo do Amarante, já sente a pressão dos que aqui vivem acuados com a escalada da violência.
O cartão de visitas do nosso estado é apresentado sem maiores cerimônias no estacionamento do aeroporto, onde é comum, segundo apurou o JSP, arrombamentos de veículos.
A cerca de uma mês, um casal foi buscar familiares que vieram usufruir além do convívio com a família, das inúmeras atrações turísticas do nosso estado, quando foram surpreendidos na volta, ao encontrarem o veículo arrombado. Os bandidos levaram o aparelho de som, o estepe, estojo de ferramentas, além de outros pertences.
A nossa reportagem apurou que antes já havia ocorrido outros delitos em que cadeiras para o transporte de crianças também são os alvos prediletos do bandidos. Até um gerador de energia, segundo nos foi passado, foi subtraído de um carro dentro do estacionamento que cobra taxas abusivas para quem não tem outra opção, senão estacionar lá.
A empresa que administra o estacionamento do aeroporto ressarciu parte dos prejuízos das vítimas que nos relatou a experiência vivida, porém sem antes exigir uma série de constrangimentos às vítimas, tais como o levantamento de três orçamentos para cada item roubado e o preenchimento de vários protocolos.
O que é mais relevante no caso é a primeira impressão dos que aqui chegam e dos que aqui vivem, onde nem mesmo no portão de entrada do nosso estado, pagando caro, não se tem segurança. 

quinta-feira, 31 de março de 2016

DIANTE DA AMEAÇA À LIBERDADE DE EXPRESSÃO...

...especificamente em São Pedro, algumas frases para refletirmos.

“Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.”

“Acima de todas as liberdades, dê-me a de saber, de me expressar, de debater com autonomia, de acordo com minha consciência.”

"As pessoas gostam do ideal de liberdade de expressão até o momento em que começam a ouvir aquilo que elas não gostariam que dissessem a respeito delas."

“Você tem o direito de falar o que pensa
Mas não tem o direito de julgar quem não conhece
Liberdade de expressão é um direito de todos
Mas em vez de falar, então faça algo que preste.”

Resultado de imagem para liberdade de expressão

“Liberdade de expressão é você ser livre para falar o que quiser, e eu ser livre para não querer te ouvir.”

"Liberdade de expressão que não reconhece o outro como portador dos mesmos direitos é discurso de ódio."

“A maior expressão da liberdade de nossa parte é quando respeitamos o direito à liberdade dos outros!”

“Todo cidadão merece respeito e dignidade, acima de tudo, liberdade de expressão que colabore para o bem-estar social do povo.”

“Liberdade de expressão para todo mundo dizer a mesma coisa é ditadura de opinião.”

“De nada vale o direito de liberdade de expressão se não temos direto de dizer o que pensamos.”

Uma homenagem aos blogs e blogueiros vítimas da intolerância em São Pedro.
#SomosTodosGuilhermeGarcia
#1964nuncamais

domingo, 28 de fevereiro de 2016

DESONESTIDADE F.C

Reproduzimos o artigo publicado pelo jornalista Luan Xavier no jornal Novo de Natal da última sexta-feira (26). Convidamos nosso leitor a ler com atenção e adaptar seu conteúdo ao cenário local, com seus personagens. Certamente, encontraremos muita similaridade com o que ocorre em nossa cidade.

Desonestidade F.C
Por Luan Xavier

    Foi preciso passar pela dor, mas é de se comemorar que o brasileiro tenha descoberto que existe política e que, sim, é preciso discuti-la.
    O debate ainda é verde, é bem verdade. Como bons brasileiros, tendemos a tratar a questão como no futebol: dois lados e uma escolha a ser defendida até a morte.
    Todavia, é bom saber que a vida pública - coisa de que tanto nós da imprensa falamos todos os dias - passou a interessar um número maior de pessoas.
    O que preocupa é a estratégia usada por pessoas minimamente mais politizadas para convencer os que estão entrando agora no bonde à busca por um lugar para sentar.
    A desonestidade intelectual é algo sebento, digno de repúdio tanto quanto a corrupção que já institucionalizada no país. Não importa de que lado esteja, sempre haverá um para usar de argumentos manipuladores a fim de tentar ganhar um debate, algo muito mais recorrente nos dias de hoje.
     Não falta quem crie pesquisas falsas supostamente feitas em Harvard, reportagens de jornais que nunca existiram, declarações criadas por algum louco no Facebook. Vale tudo no jogo sujo das discussões políticas.
    A coisa é tão séria que tem gente mudando de lado só porque alguém da corrente contrária passa a concordar com algum argumento em comum.
    No Brasil, parece que a política não tem como objetivo alcançar um bem comum, mas sim vencer debates. E para isso existem alguns espertos que abrem mão até de sua inteligência e, sobretudo, honestidade para sair por cima. Um passatempo interessante é clicar nos links compartilhados por alguns amigos no Facebook. Experimente.
    Uns tratam logo de julgar determinado conteúdo pelo título e fazer um famoso "textão" sobre. Esquecem de, pelo menos, ler sobre o que estão falando. E, por causa desse pecado, acabam falando besteira.
    Alguns desses, inclusive, adotaram uma tática até pouco tempo criticada: o perdão deslavado, aquele sem arrependimento, só pra forçar uma nobreza. Não sou contra o perdão, é claro. Só creio que muito mais inteligente que viver de reconhecer um erro pertinente é tentar evitar um.
    Sem contar os mofinos, aqueles que só entram no debate quando sabem que vão ganhar. Quando o jogo vira, parecem torcedores de time que perdeu no dia anterior: somem, calam-se e ficam na tocaia até poder cantar vitória novamente.
    Ê, Brasil!

Acrescentaríamos: Ê, São Pedro!